O gerenciamento de serviços de TI (ou gestão de serviços de Informática) tem por objetivo prover um serviço de TI com qualidade e alinhado às necessidades do negócio, buscando redução de custos a longo prazo.

em 01 de junho de 2015

O gerenciamento de serviços de TI (ou gestão de serviços de Informática) tem por objetivo prover um serviço de TI com qualidade e alinhado às necessidades do negócio, buscando redução de custos a longo prazo.
 
Os serviços de TI devem atender às necessidades de negócios das organizações que são diferentes uma das outras devido a práticas e ramo de atuação. Porém a construção de serviços de TI de modo singular possui custos mais elevados de produção que podem tirar a competitividade das organizações. O tempo de desenvolvimento pode não atender as necessidades de mercado, não sendo raras as vezes que um serviço de TI é liberado e as necessidades de mercado já foram alteradas. Em certos casos para atender os tempos requeridos pelo mercado a qualidade dos serviços de TI é reduzida, através da redução do seu ciclo de desenvolvimento, prejudicando seu desempenho futuro ou mesmo, inibindo a sua reutilização para a composição de outros serviços de TI. Uma fábrica de serviços de TI tem o objetivo de resolver alguns desses problemas.
 
Terceirização (português brasileiro) ou Outsourcing (português europeu) é uma forma de organização estrutural que permite a uma empresa privada ou governamental transferir a outra suas atividades-meio , proporcionando maior disponibilidade de recursos para sua atividade-fim , reduzindo a estrutura operacional, diminuindo os custos, economizando recursos e desburocratizando a administração2 [parcial] Em alguns contextos distingue-se terceirização de outsourcing; ambos os conceitos estão geralmente intimamente ligados a subcontratação.
 
Alguns argumentam que traria um certo avanço em termos de liberdade empreendedorial, trazendo uma necessária flexibilização da nossa atualmente rígida legislação trabalhista4 e que também a terceirização seria possível retirar muitos trabalhadores que hoje têm de recorrer à informalidade, oferecendo-lhes salários maiores. Por exemplo, ainda que devido à terceirização, mesmo assim 25.000 empregos por ano foram perdidos [carece de fontes] nos EUA durante o período de 1992 a 2007, este sistema criou, em média, cerca de 100 mil empregos por ano em países em desenvolvimento de baixo salário. Como resultado, o emprego aumentou na América Latina, África e Ásia.
 
A terceirização causa a desburocratização6 e desencargo do gerenciamento dos funcionários, assim aumentando o lucro. A empresa não tem de se preocupar com a orientação sobre as funções a serem desempenhadas, e toda a burocracia trabalhista.